Pular para o conteúdo principal

Postagens

Destaques

Observatório de Direitos Humanos é estratégia em tempos de ódio

Por: Ícaro Jorge - Justificando.com | 21/01/2019  Arte: Gabriel Prado
A abordagem sobre direitos humanos no Brasil tomou uma proporção discursiva oportunista durante as eleições. A questão é que criou uma institucionalização dos direitos humanos, como se direitos fossem uma entidade e as pessoas tivessem a possibilidade de aceitarem ou não. A realidade é que com a retomada fascista no mundo, o discurso de ódio se tornou uma das ferramentas para a retirada de direitos e os valores de direitos humanos, como o bem viver e a coexistência com as diferenças, foram colocados como a margem do capitalismo. Um dos pontos que discorrem sobre essa nova forma de enxergar o mundo é a luta pela manutenção de privilégios ao invés de ganho de direitos. Essa luta, sempre esteve atrelada a conjuntura brasileira, estruturada pelo capitalismo, machismo e racismo. Essa análise pode ser observada nos processos históricos, como o escravocrata, o ditatorial e mesmo na democracia, vide que as desigualdades só con…

Últimas postagens

No centro de São Paulo surge uma pequena África

Cartilha 'Comunicação e Direitos Humanos' - INTERVOZES (2019)

Guia 'Mídia e Direitos humanos' - INTERVOZES (2015)

Por que o racismo religioso tem terreno fértil para prosperar no país

Anistia Internacional Brasil lança e-book Educação em Direitos Humanos 2018

Ameaça à liberdade de ensino paira sobre nós

A Luta Indígena no Brasil | Da série: assuntos em evidência / documentários selecionados por socioescritores.blogspot.com

II Simpósio de Direitos Humanos e Inclusão Social no IFPB Campus Avançado Cabedelo Centro, de 19 a 21 de novembro

Delegação da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) está no Brasil de olho em violações de direitos humanos

Conceição Evaristo em sala de aula